O Métier do Fisiopata

por demanboro

Boa tarde a todos!

Antes que me acusem de estar querendo criar uma nova categoria profissional, vou logo dizendo que o nome deste post, bem como o deste blog, é apenas uma forma, digamos assim, implicante, de reforçar um axioma: o de quê fisioterapeutas não são reabilitadores, mas profissionais de saúde integrais, com suas técnicas de exame e avaliação, seus diagnósticos, suas prescrições, seus métodos de tratamento, acompanhamento evolutivo, prognóstico e alta. Aliás, o nome do Blog foi assunto do meu primeiro post e não vou mais me alongar nisso. Só dizer que “fisiopata”, “fisioterapeuta”, “cinesiólogo”, “terapeuta físico” são todos nomes que nós poderíamos usar corriqueiramente, não em substituição à “fisioterapeuta” mas complementarmente a ele, para mostrar a amplitude do nosso campo de conhecimento.

O métier do fisioterapeuta (ou fisiopata, ou terapeuta físico…) é encontrar soluções para problemas de saúde por meios físicos e naturais. É claro para mim que esse é o seu objetivo número 1.

“Executar métodos e técnicas fisioterápicas…” como diz o famoso decreto Lei 938 que deu origem à profissão, é apenas parte da história. A parte clínica. Mas não é o que nós devemos esperar de nós mesmos ou o que a sociedade espera de nós. Os pacientes precisam que se aplique o que já é consagrado ou cientificamente validado, com eficiência, nos diversos tipos de patologias e tratamentos, mas, sobretudo, as pessoas que adoecem precisam que cada vez mais se descubra meios melhores e mais eficientes para mitigar suas dores, aliviar seus sintomas, recuperar suas funções perdidas, em suma, resolver suas demandas. E se não formos nós, os estudiosos dos recursos físicos e naturais aplicados à saúde, a fazerem isso, quem o fará?

Quem no mundo poderá fazer aquilo que você deve fazer?

Até a próxima!

 

 

Anúncios